Web Toolbar by Wibiya O plano espiritual - Outros assuntos - Chico Xavier

Ir para conteúdo

Bem-vindo ao site Chico Xavier
Crie sua conta agora para poder ter acesso a todas as funcionalidades e recursos. Para criar nova conta demora apenas alguns asegundos e vai poder criar tópicos responder a mensagens, interagir com outros usuários, baixar arquivos (downloads, apresentações, documentos,...) e muito mais!
Entrar em sua conta Criar nova conta agora

O plano espiritual

* - - - - 1 votos Em dia com o Espiritismo

  • Por favor, faça o login para responder
Não há respostas para este tópico
Macili
  • Administrators
  • 2.701 posts
  • Advanced Member
  • Last active: Jul 23 2017 12:54
  • Joined: 10 Nov 2012

Imagem Postada





O Plano Espiritual




O conhecimento atual que temos do mundo espiritual se deve, efetivamente, à excepcional faculdade mediúnica de Chico Xavier e à sua exemplar conduta moral, condições que lhe permitiram captar corretamente os verdadeiros ensinos dos Espiritos e não ser enganado por mistificadores que, infelizmente, abundam na realidade extrafísica.


Neste artigo vamos apresentar apenas breves anotações a respeito da realidade viva que se estende no plano imediato à experiência reencarnatória, pois o assunto é muito vasto.


Os relatos mediúnicos presentes nos livros recebidos pela mediunidade do Chico Xavier, sobretudo os do Espírito André Luiz, fornecem significativas informações a respeito da sociedade humana que existe no Além, cuja organização social fundamenta-se nos princípios de afinidade e que pode ser comparada a "imensa floresta de criações mentais, onde cada Espírito, em processo de evlução e acrisolamento, encontra os reflexos de si mesmo", como ensina Emmanuel.¹  André Luiz, por outro lado, enfatiza "que o plano imediato à residência dos homens jaz subdividido em várias esferas. Assim é com efeito, não do ponto de vista do espaço, mas sim sob o prisma de condições [de vida]".² Contudo, o ciclo geofísico, consequente da rotação do Planeta em torno do próprio eixo, não sofre maiores alterações, pois é governado pelas



   [...] mesmas leis de gravitação que controlam a Terra, com os dias e as noites marcando a conta do tempo, embora os rigores das estações estejam suprimidos pelos fatores de ambiente que asseguram a harmonia da Natureza, estabelecendo clima quase constante e quase uniforme, como se os equinócios e solstícios entrelaçassem as próprias forças, retificando automaticamente os excessos de influenciação com que se dividem.³



A Natureza do plano espiritual reflete as emissões mentais dos seus habitantes, sendo organizada por elementos semelhantes aos do plano físico, porém mais aperfeiçoados e leves, porque a matéria se encontra em outra dimensão vibratória, formada de "elementos atômicos mais complicados [sofisticados] e sutis, aquém do hidrogtênio e além do urânio [...]",4  condições que extrapolam a conhecida série estequiométrica dos elementos químicos.


Nessas condições, sabe-se que no outro lado da vida as construções humanas e as da Natureza - reservatórios hídricos (oceanos, rios, lagos e fontes), planícies e planaltos, flora (florestas e bosques) e fauna diversificada - utilizam como matéria prima um fluido vivo e multiforme, estuante e inestancável, definido como subproduto do fluido cósmico universal, que é "absorvido pela mente humana, em processo vitalista semelhante à respiração".5

Esclarece André Luiz:


   Plantas e animais domesticados pela inteligência humana, durante milênios, podem ser aí aclimatados e aprimorados, por determinados períodos de existência, ao fim dos quais regressam aos seus núcleos de origem no solo terrestre, para que avancem na romagem evolutiva, compensados com valiosas aquisições de acrisolamento, pelas quais auxiliam a flora e a fauna habituais à Terra, com os benefícios das chamadas mutações espontâneas.6


O número das coletividades humanas do plano extrafísico se desdobra ao infinito, mas "as sociedades humanas desencarnadas, em quase dois terços, permanecem naturalmente jungidas, de alguma sorte, aos interesses terrenos".7  Tais organizações sociais "aglutinam-se em verdadeiras cidades e vilarejos, com estilos variados, como acontece aos burgos terrestres, caracteristicos da metrópole ou do campo, edificando largos empreendimentos de educação e progresso, em favor de si mesmas e em benefício dos outros".8  Contudo, elucida o Espírito Abel Gomes:


   [...] Além da sepultura, continuamos a obra encetada ou somos escravos do mal que praticamos na Terra. Por isto, o estado mental é muito importante nas condições da matéria rarefeita que a criatura passa a habitar, logo depois de abandonar o carro fisiológico.9


Sendo assim, há grupamentos humanos que representam focos de perturbação e há outros assinalados pelo equilíbrio e harmonia espirituais, pois um fato é incontestável:


   O homem desencarnado procura ansiosamente, no Espaço, as aglomerações afins com o seu pensamento, de modo a continuar o mesmo gênero de vida abandonado na Terra [...]10


Entretanto, nem todos os Espíritos têm acesso livre aos diferentes grupos, como a propósito lembram os Espíritos da Codificação:


   Os bons vão a toda parte e assim deve ser, para que possam exercer sua influência sobre os maus. Mas as regiões habitadas pelos bons são interditadas aos Espíritos imperfeitos, a fim de não as perturbarem com suas paixões inferiores.11


Tomando como referência o plano físico da Terra, André Luiz nos fornece a seguinte classificaqção das comunidades espirituais, para que tenhamos uma ideia panorâmica do assunto (e que não deve ser entendida de forma rígida ou absoluta):


. Regiões abismais, também denominadas Abismos ou Trevas, situadas abaixo da superfície terrestre. São localidades de desolação e tristeza. O sofrimento e as paixões inferiores marcam o semblante dos seus habitantes. Aí vivem milhares de Espíritos que, "preferindo caminhar às escuras, pela preocupação egoística que os absorve, costumam cair em precipícios, estacionando no fundo do abismo por tempo indeterminado [...]".12


. Umbral, vasta e heterogênea região localizada na superfície e acima da crosta, é

   região de profundo interesse para quem esteja na Terra. Concentra-se, aí, tudo o que não tem finalidade para a vida superior. [...] Há legiões compactas de almas irresolutas e ignorantes, que não são suficientemente perversas para serem enviadas a colônias de reparação mais dolorosa, nem bastante nobres para serem conduzidas a planos de elevação. Representam fileiras de habitantes do Umbral, companheiros imediatos dos homens encarnados, separados deles apenas por leis vibratórias. Não é de estranhar, portanto, que semelhantes lugares se caracterizem por grandes perturbações. Lá vivem, agrupam-se, os revoltados de toda espécie. Formam, igualmente, núcleos invisíveis de notável poder, pela concentração das tendências e desejos gerais. [...] É zona de verdugos e vítimas, de exploradores e explorados. 13


. Colônias de Transição ou de Fronteira, encontradas entre o Umbral e as Regiões superiores. Como exemplo, temos a Colônia "Nosso Lar". Nela ainda existe sofrimento, mas os seus habitantes, de evolução mediana, são mais esclarecidos, dedicados ao trabalho e à realização no bem. Tais condições favorecem a Natureza, plena de belezas e harmonias inexistentes nos planos inferiores. A Colônia possui várias avenidas enfeitadas de árvores frondosas. O ar aí é puro, e a atmosfera ambiental reflete profunda tranquilidade espiritual. Não há, porém, qualquer sinal de inércia ou de ociosidade, visto que as vias públicas estão sempre repletas de entidades numerosas em constantes atividades, indo e vindo. 14


. Esferas superiores, situadas acima das Colônias de Transição, são núcleos de diferentes gruas de purificação e, por conseguinte, de felicidade. Apresentam diversos níveis de elevação espiritual, tal como acontece com as demais coletividades. Há comunidades redimidas, situadas "nas regiões mais elevadas da zona espiritual da Terra". 15  O habitante dessas esferas "vive muito acima de nossas noções de forma, em condições inapreciáveis à nossa atual conceituação da vida. Já perde todo o contato direto com a Crosta Terrestre e só poderia fazer-se sentir, por lá, através de enviados e missionários de grande poder". 16


Curvamo-nos com muito respeito e gratidão à grandeza e extensão do trabalho mediúnico veiculado por Chico Xavier, o Obreiro do Senhor, mesmo que ele, em sua simplicidade, haja afirmado:
Tenho recolido as maiores lições no trabalho do livro [...]. Vejo todos trabalhando tanto, sinto-me como uma formiga, muito pequena, em meio a tanto serviço. 17

____________
Referências:
¹   XAVIER, Francisco C.  Pensamento e vida. Pelo Espírito Emmanuel. 18. ed. 1. reimp. Rio de Janeiro: FEB, 2009. Cap. 18.
²   XAVIER, Francisco C.  VIEIRA, Waldo.  Evolução em dois mundos. Pelo Espírito André Luiz. 25. ed. 2. reimp. Rio de Janeiro: FEB, 2009. P. 1, Cap. 13, item Esferas espirituais, p. 122.
³   _________, __________, Item Vida na Espiritualidade, p. 121.
4   _________, __________, Item Fluido vivo, p.120.
5 _________, __________, p. 119-120.
6   _________, __________, Item Vida na Espiritualidade, p. 121.
7   _________, __________, p. 2, cap. 7, p. 227.
8   _________, __________, p. 228.
9   XAVIER, Francisco C.  Falando à Terra; mensagens mediúnicas de varios Espíritos. 6. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2002. Cap. Noícias, p. 66.
10  _________, O Consolador. Pelo Espírito Emmanuel. 28. ed. 2. reimp. Rio de Janeiro: FEB, 2009. Q. 148, p. 120.
11  KARDEC, Allan. O livro dos espíritos. Trad. Evandro Noleto Bezerra. 2. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2010. Q. 279.
12  XAVIER, Francisco C.  Nosso lar. Pelo Espírito André Luiz. 60. ed. 2. reimp. Rio de Janeiro: FEB, 2009. Cap. 44, p. 291.
13  _________, __________, Cap. 12, p. 81-82.
14  _________, __________, Cap.  8.
15  _________,  Obreiros da vida eterna. Pelo Espírito André Luiz. 33. ed. 2. reimp. Rio de Janeiro: FEB, 2009. Cap. 3, p. 59-60.
16  _________, __________, p. 60.
17  NOBRE, Marlene, R. S. Lições de sabedoria: Chico Xaviernos 23 anos da Folha Espírita. 2. ed. São Paulo: FE, 1997. Cap. 24, p. 262.


Fonte: Reformador nº 2.173, de abril 2010.





0 usuário(s) está(ão) lendo este tópico

0 membros, 0 visitantes, 0 membros anônimos