Web Toolbar by Wibiya Incrível boa vontade - Presença de Chico Xavier - Chico Xavier

Ir para conteúdo

Bem-vindo ao site Chico Xavier
Crie sua conta agora para poder ter acesso a todas as funcionalidades e recursos. Para criar nova conta demora apenas alguns asegundos e vai poder criar tópicos responder a mensagens, interagir com outros usuários, baixar arquivos (downloads, apresentações, documentos,...) e muito mais!
Entrar em sua conta Criar nova conta agora

Incrível boa vontade

Poder curador do Médium

  • Por favor, faça o login para responder
Não há respostas para este tópico
Macili
  • Administrators
  • 2.706 posts
  • Advanced Member
  • Last active: Mai 31 2018 02:43
  • Joined: 10 Nov 2012

Imagem Postada





Incrível Boa Vontade





Renovando alegrias, acendendo vivas esperanças, multiplicando as mais doces e suaves emoções, fazendo, enfim, vibrar as mais sublimes fibras do amor puro no coração, a presença de nosso amado médium Chico Xavier é, efetivamente, o esperado, ansiosamente aguardado presente de Natal, de todos os anos dos internos da Colônia de Santa Marta, nas proximidades de Goiânia.



Toca-se, com efeito, o ambiente de envolventes ondas de perfume e suavidade, certamente emanadas pela presença de alcandorados espíritos, principalmente das legiões do patrono espiritual da Colônia, o amado apóstolo do Senhor, Francisco de Assis.



Vinte de dezembro de 1988. cerca de nove horas da manhã, chega Chico, como sempre ladeado pelos casais Elba e Prof. Múcio (de Goiânia) e Maria Eunice e esposo, Antônio Calixto (companheiro de viagem de Chico, por mais de duas décadas), além de numerosos amigos, que tudo fazem para não perder o bendito ensejo!



E começa uma das mais sublimes maratonas de luz e amor, que marcam a vida missionária de nosso querido visitante.



Impressionante lição de sacrifício e de renúncia toca-nos a alma ao observarmos apoiando-se na tarefa, criaturas com o estado precário de saúde e de forças, como Chico e Dona Elba, com a paciência e o amor cristãos de sempre, ali na escalada de incrível boa vontade e desprendimento, perseverança e dedicação, junto a corações sofredores.



A multidão mistura-se aos doentes, na ânsia do aperto de mão, do abraço,da palavra, ou pelo menos do sorriso e do olhar do médium, com que muitos se contentam, na impossibilidade da aproximação até tocar em Chico, que tem por outro lado, uma capacidade imensa de não deixar ninguém sem a doação de seu profundo amor, ainda que seja apenas um sorriso e o olhar que valem uma mensagem inteira para cada um.



Como em todos os anos, expressões de amor e carinho dos internos são ouvidas, dentre muitas: Chico, Deus te pague por estar de novo aqui conosco; sua presença renova nossa esperança e ânimo de viver; a gente não tem palavras para agradecer a bênção de sua vinda; Deus te abençoe sempre, Chico.



A todos Chico abraça, beija e doa palavras de esperança, orientação, coragem e mensagem.



Por entre esses atendimentos ambulantes, aqui e ali, uma ou outra pergunta de repórteres. Diálogos sempre tocados de sabedoria e amor, dentre muitos estes:

Repórter: Chico, porque você vem aqui todo o ano?



E Chico dá a explicação de sempre: a visita é para receber as lições de paciência e resignação, compreensão e amor, de que necessito para prosseguir na luta. É o abastecimento de ânimo e forças para continuar.



Indaga outro repórter: Chico consta que você afirmou que aqui existe uma rainha. Você confirma isso?



E Chico responde, peremptório: Não. Eu não afirmei isso. Eu disse que há muitas rainhas. Porque as lavadeiras, as lixeiras, as mães de sacrifício... estão todas em planos superiores.



Estamos no pavilhão do Nélson que espera Chico na entrada. Chico senta-se prolongados minutos ao lado do Nélson Pereira (muito popular na Colônia), com quem conversa e brinca amistosamente. Nélson, acompanhado de "Moreno", ao violão, canta para os presentes, inclusive uma canção que neste ano compôs especialmente para o visitante: "Companheiro e Amigo", que Chico, comovido agradece, solicitando cópia gravada.



Ali, ao pé da multidão, certa interna de olhos reluzentes, transbordantes de júbilo e gratidão, aproxima-se de nós (formávamos uma rodinha juntamente com Dirceu Abdala, Reginaldo Marques e outros que testemunharam o fato) e, narra-nos, com efusivos gestos de alegria, que padecendo há dias de intensa e cruel dor de cabeça, acabara de ser agraciada pelo poder curador do médium: peguei a mão do tio Chico e a levei até minha testa e bastou o toque e foi embora a dor de cabeça.



Já por volta das três horas da tarde, como de costume, Chico e multidão demandam a Vila São João, para o encerramento no Centro Espírita Jésus Gonçalves, com o emocionante culto de sempre.



E, a seguir, para terminar, o lanche habitual na chácara do casal Elba e Múcio, onde o médium continua as missão, atendendo enquanto se alimenta, a inúmeros corações sofredores que lhe buscam a palavra de conforto, esclarecimento e amor.



É difícil agradecer, com palavras, ao coração bondoso do querido irmão de todos, tantas bênçãos recebidas em jornadas como esta.



No entanto, você Chico, sabe sentir a nossa gratidão, além das palavras.




Do Livro: Chico Xavier - Fonte de Luz e Bênçãos
Autores: Urbano T. Vieira e
Dirceu Abdala





0 usuário(s) está(ão) lendo este tópico

0 membros, 0 visitantes, 0 membros anônimos